Tainá Rehder - Post 27-09-2017 (Frank 2)

Referência Arquitetônica: Desconstrutivismo

No post de hoje do blog, vamos falar sobre um forte movimento na arquitetura: o desconstrutivismo. Também, falaremos sobre dois arquitetos que revolucionaram a arquitetura e que fizeram parte do movimento descontrutivista. Este é um dos nossos movimentos preferidos, pois possui obras grandiosas, modernas e que são uma grande inspiração para toda a nossa equipe.

A arquitetura desconstrutivista é uma linha de produção arquitetônica pós-moderna que teve início ao fim dos anos 80. Caracteriza-se pela fragmentação, pelo processo de desenho não linear, pelas formas não-retilíneas que servem para distorcer e deslocar alguns dos princípios elementares da arquitetura, como a estrutura e o envoltório (paredes, piso, cobertura e aberturas) do edifício. A aparência visual final dos edifícios da escola desconstrutivista caracteriza-se por um caos controlado e pela imprevisibilidade. O nome também deriva do construtivismo russo que existiu durante a década de 1920.

Dois nomes muito importantes deste movimento são Frank Gehry e Zaha Hadid,

Zaha Hadid foi uma arquiteta iraquiana-britânica, formada em matemática na Universidade Americana de Beirute. Após se formar, passou a estudar na Architectural Association de Londres. Depois de se graduar em arquitetura, tornou-se membro do Office for Metropolitan Architecture (OMA). Em 2004, Zaha Hadid se tornou a primeira mulher a receber o Prêmio Pritzker de Arquitetura, pelo conjunto de sua obra. Em 2015, recebeu a medalha de ouro do Royal Institute of British Architects. Se destacou na área por seus designs não lineares, com várias curvas, múltiplos pontos de perspectiva e repletos de forma. Faleceu em 31 de março de 2016, nos Estados Unidos.

O canadense Frank Gehry é um arquiteto canadense, naturalizado norte-americano. Formou-se na University of Southern California em arquitetura. Depois, estudou planejamento urbano em Harvard. É ganhador do Prêmio Pritzker. O trabalho de Gehry é conhecido por mostrar que a forma nem sempre precisa expressar a função, por suas formas complexas e por elementos esteticamente diferentes.

Ambos são profissionais incríveis que amamos estudar e admirar suas obras sempre! Principalmente, por serem excelentes exemplos do movimento desconstrutivista.

Esperamos que tenham gostado!
Até a próxima!

Tainá Rehder - 27-09-2017 (Frank 3)

Tainá Rehder - 27-09-2017 (Zaha)

Tainá Rehder - Post 27-09-2017 (Frank 2)

Tainá Rehder - Post 27-09-2017 (Frank)

Tainá Rehder - Post 27-09-2017 (Zaha 2)

Tainá Rehder - Post 27-09-2017 (Zaha 3)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>